Polícia busca ator suspeito de matar estudante

Paris, 2 - A polícia da França investigou hoje um bar e dois hotéis em Paris em busca do ator pornô canadense Luka Rocco Magnotta, de 29 anos, suspeito de filmar o esquartejamento de seu namorado, o estudante chinês Lin Jun, e enviar partes do corpo pelo correio.

AE, Agência Estado

02 de junho de 2012 | 19h20

Magontta também é suspeito de ameaçar o primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, e outros legisladores do país. "A acusação provavelmente é resultado da crença da polícia de que, após cortar os membros da vítima, Magnotta enviou um pé pelo correio para a sede do Partido Conservador e uma mão para o Partido Liberal", diz uma matéria publicada pela CBC News, que teria tido acesso ao mandado de prisão contra o ator.

Uma fonte da polícia francesa não quis informar se as buscas realizadas em Paris são baseadas em lugares em que Magnotta já esteve quando visitou o país ou em informações contundentes de que ele está em território francês. As investigações se focaram em uma rua do bairro Batignolle, no noroeste de Paris.

Na noite de sexta-feira a polícia francesa teria visitado o bar Le Petit Batignolles e visto as gravações das câmeras de segurança. Os agentes teriam mostrado uma foto do suspeito para o gerente e saíram do bar com garrafas de refrigerante vazias, segundo uma testemunha que pediu para não ser identificada.

Próximo dali, no hotel Studio des Batignolles, dois policiais conversaram com funcionários em busca do suspeito. O mesmo ocorreu no Hotel des Batignolles, na mesma região.

Na quinta-feira, a Interpol emitiu um alerta sobre Magnotta para os 190 países que fazem parte do grupo, após surgir na internet um vídeo do assassinato de Lin Jun. O suspeito também usaria os nomes Eric Clinton Newman e Vladimir Romanov.

O ator foi batizado pela imprensa internacional de "psicopata canadense", porque no vídeo que mostra a morte do estudante chinês ao fundo está tocando a trilha sonora do filme "Psicopata Americano". As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
CanadáatorassassinatoFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.