Polícia busca líderes de protesto que desestabilizou Tailândia

Pelo menos dez pessoas são procuradas e três se entregaram; autoridades vigiam aeroportos

Efe,

15 de abril de 2009 | 03h50

A Polícia da Tailândia procura nesta quarta-feira, 15, dez dos 13 líderes da série de protestos antigovernamentais, contra quem foram emitidas ordens de detenção, um dia depois que os manifestantes aceitaram pôr fim à mobilização nas ruas de Bangcoc.

 

linkManifestantes encerram protestos na Tailândia

 

Até agora, três dos líderes - todos eles aliados do deposto ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra - se entregaram à Polícia, e as autoridades vigiam aeroportos para evitar fugas.

 

Um tribunal os acusa de reunião ilícita e de incitar a alteração da ordem pública, em cumprimento com o estado de exceção declarado no domingo e que ainda vigora em Bangcoc e em cinco outras províncias.

 

Caso sejam considerados culpados dos delitos, os líderes podem receber sentenças de entre três e sete anos de prisão.

 

As ordens de detenção foram emitidas pouco depois que os manifestantes se retiraram dos limites da sede do Governo, após duas semanas de mobilização para forçar a renúncia do premiê Abhisit Vejjajiva.

 

A Tailândia vive há três anos uma profunda crise política motivada pela rixa entre partidários e detratores do ex-premiê Shinawatra.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.