Aaron Vincent Elkaim/The Canadian Press via AP
Aaron Vincent Elkaim/The Canadian Press via AP

Polícia canadense evita ligar atropelamento em Toronto a terrorismo

Chefe de polícia afirmou que investigação ainda não determinou causa do ato; foco está nos testemunhos e vídeos de câmeras de segurança

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2018 | 11h05

TORONTO - A polícia de Toronto, maior cidade do Canadá, ouviu testemunhas e analisou imagens de câmeras de vigilância para determinar a motivação do atropelamento na tarde de segunda-feira, 23, que deixou ao menos 10 mortos e 15 feridos depois que o condutor de uma van jogou o veículo sobre uma calçada lotada.

O suspeito, de 25 anos, foi capturado após um breve confronto com a polícia. Apesar de ainda não ter determinado a causa do incidente, o chefe de polícia da cidade, Mark Saunders, afirmou que o atropelamento parece ter sido intencional. "O incidente definitivamente pareceu deliberado", afirmou, nesta terça-feira, 24. Ele disse que o suspeito, Alek Minassian, mora no subúrbio de Toronto, em Richmond Hill, e não tinha passagens pela polícia.

+ Policial que se recusou a atirar no suspeito do atropelamento no Canadá é elogiado

+ Suspeito de ataque no Canadá era estudante retraído, dizem ex-colegas de turma

O único pronunciamento das autoridades sobre a causa do acidente foi para afastar uma possível conexão do caso com terrorismo. A relação foi feita em razão da série de ataques contra pedestres na Europa e e nos EUA, bem como pela presença de líderes mundiais em reunião das nações que compõem o G-7. De acordo com Saunders, "não há nada que faça comprometer a segurança nacional neste momento".

Poucas informações foram divulgadas sobre o caso. "Precisamos de cada peça deste quebra-cabeça para que possamos ter uma imagem completa e explicar exatamente o que aconteceu aqui", disse o policial. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.