Polícia canadense identifica cabeça de estudante chinês

A polícia de Montreal confirmou que uma cabeça humana encontrada num parque pertence ao estudante chinês que, acredita-se, tenha sido morto por um ator pornô canadense.

AE, Agência Estado

04 de julho de 2012 | 17h40

A porta-voz da polícia de Monteral, Anie Lemieux, disse nesta quarta-feira que a cabeça pertence a Jun Lin, que foi morto e teve o corpo desmembrado em maio. O principal suspeito é o ator Luka Rocco Magnotta, que também teria enviado partes do corpo de seu namorado a partidos políticos e escolas canadenses.

Em audiência realizada no mês passado, ele declarou-se inocente. A cabeça era a única parte ainda não encontrada até domingo, quando, segundo Lemieux a encontraram no parque Angrignon, após a unidade criminal ter recebido uma pista. O parque fica a alguns quilômetros ao sul do local onde fica o apartamento de Magnotta.

O ator fugiu para a Europa antes de as partes do corpo serem descobertas e foi detido num cybercafé, em Berlim. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
CanadácrimechinêsMagnotta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.