Jessica Rinaldi/Reuters
Jessica Rinaldi/Reuters

Polícia cerca região de Boston onde acredita estar 2.º suspeito do atentado

O primeiro suspeito - que usava boné preto nas imagens divulgadas pelo FBI - foi morto após um tiroteio

O Estado de S. Paulo,

19 de abril de 2013 | 12h33

(Atualizada às 18h35) BOSTON - A polícia de Boston cerca uma região de Watertown, subúrbio de Boston, onde pode estar o segundo suspeito - Dzhokhar Tsarnaev, 19 anos - de ter cometido o atentando que matou três pessoas e deixou 176 feridos na Maratona de Boston. Pelo menos 20 quarteirões estão bloqueados.  

A polícia, o FBI, equipes da SWAT e a agência federal de explosivos e armas, a ATF, mantêm um intenso cerco com helicóptero e veículos blindados nas ruas do local e buscam pelo suspeito de casa em casa. O transporte público foi interrompido e o espaço aéreo reduzido para os voos, paralisando uma região de um milhão de habitantes.

As autoridades temem que haja explosivos na área onde o indivíduo se esconde. O coronel de polícia de Massachusetts, Timothy Alben, disse que explosões controladas podem ser realizadas pela tarde. Na quinta-feira, o FBI divulgou vídeo e fotos dos dois suspeitos de serem autores do ataque.

Os dois são irmãos vindos da Chechênia e um deles - Tamerlan Tsarnaev, o que aparece nas imagens usando um boné preto - foi morto após um tiroteio no campus do Massachusetts Institute of Technology (MIT), segundo confirmação do comissário da Polícia de Boston, Ed Davis. O tiroteio aconteceu pouco após as 22h30 locais (23h30 de Brasília), cinco horas depois de terem sido publicadas as primeiras fotos dos suspeitos.

Após receber a queixa de um assalto em uma loja 24 horas no campus do MIT, o policial abordou dois indivíduos, que o receberam a tiros. Depois disso, os indivíduos sequestraram um carro e fugiram de Cambridge para Watertown, ferindo gravemente no caminho um agente do serviço de transporte público de Boston.

Durante a perseguição, os fugitivos lançaram explosivos de dentro do carro contra os agentes, segundo testemunhas consultadas por televisões locais. Após sofrer um acidente em um posto de gasolina e abandonar o veículo, o "suspeito número 1", segundo a identificação do FBI, foi morto e o segundo fugiu rumo à zona residencial próxima a um shopping center.

Desde a manhã desta sexta-feira, 19, a população de Boston foi alertada a se manter abrigada onde estiver, enquanto as autoridades conduzem uma caçada pelo segundo suspeito do atentado à Maratona de Boston.

Perfil

Em sua página no que parece ser um site de relacionamento russo, Dzhokhar Tsarnaev se identifica como graduando de 2011 em uma escola pública de Cambridge, no Massachusetts e diz que cursou a escola primária em Makhachkala, capital do Daguestão, província russa que faz fronteira com a Chechênia. Dzhokhar lista seus idiomas como inglês, russo e checheno.

Sua "visão de mundo" é listada como "islã" e sua prioridade pessoal, como "carreira e dinheiro". Ele postou links para vídeos de combatentes na guerra civil da Síria e para sites islâmicos, além de páginas que defendem a independência da Chechênia, uma região da Rússia que foi derrotada em sua luta pela independência em duas guerras na década de 1990.

A página do suspeito também revela um senso de humor em torno de sua própria identidade como membro de uma minoria rebelde do Cáucaso, área no sul da Rússia que inclui a Chechênia, o Daguestão, a Inguchétia e outras regiões predominantemente muçulmanas que vive há duas décadas sob clima de conflito, desde a queda da União Soviética.

Ele postou a seguinte piada: "Um carro passa com um cara da Chechênia, um do Daguestão e outro da Inguchétia dentro. Pergunta: Quem está dirigindo?. Resposta: a polícia." / REUTERS e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.