Polícia chinesa detém 12 envolvidos no incêndio que matou 43

Incêndio, que deixou ainda 88 feridos, aconteceu em uma casa noturna ilegal em Cantão, no sul da China

Efe

21 de setembro de 2008 | 17h28

A Polícia chinesa deteve 12 pessoas neste domingo, 21, pelo incêndio que matou 43 pessoas e feriu outras 88 em uma discoteca de Cantão, no sul da China, informou a agência de notícias "Xinhua".   Veja também:  Incêndio em casa noturna deixa 43 mortos na China   Os agentes não deram mais detalhes sobre os detidos, mas, segundo as primeiras investigações, o fogo teve início antes da meia-noite deste sábado, 20, pelo uso de fogos de artifício em uma apresentação na boate, situada no distrito Longgang da cidade de Shenzhen.   Esta manhã, 59 dos feridos estavam hospitalizados e outros seis sob observação médica, segundo dados fornecidos pelo responsável do distrito, Zhang Bei.   Para chegar ao clube, situado no terceiro andar de um mercado, era preciso passar por um estreito corredor de 10 metros de comprimento, o que dificultou a saída de muitos dos presentes e estendeu o pânico pelas chamas, causando uma fuga precipitada.   "Muita gente ficou ferida na fuga precipitada", disse Yang Zhi, um dos empregados do local, que contou que viu muitas pessoas deixarem o local em torno das 23h (12h em Brasília), quando, de repente, as luzes do clube se apagaram devido ao incêndio, que foi controlado durante a noite.

Tudo o que sabemos sobre:
China

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.