Polícia chinesa detém repórteres em funeral de vítimas de acidente

Segundo os porta-vozes do departamento policial, a prisão foi um mal-entendido

Efe

30 de agosto de 2010 | 04h16

PEQUIM - A polícia chinesa deteve por algumas horas quatro jornalistas que cobriam os funerais das vítimas do acidente de aviação na província de Heilongjiang, nordeste da China, informou nesta segunda-feira, 30, o jornal oficial Global Times.

"Dois jornalistas se aproximaram e me perguntaram se era jornalista. Respondi que sim e me disseram que os acompanhasse sem explicar-me os motivos", explicou ao jornal um dos repórteres detidos.

Depois que vários colegas dos detidos protestaram em frente ao local no qual estava sendo realizado os funerais, os quatro jornalistas foram postos em liberdade.

Os porta-vozes do departamento policial indicaram que a detenção aconteceu por causa de um mal-entendido, sem dar mais explicações a respeito, acrescentou o jornal.

Organizações defensoras da liberdade de imprensa como Anistia Internacional (AI) e Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denunciam que o regime comunista é um dos países mais censores do mundo, junto com Cuba, Coreia do Norte e Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.