Polícia chinesa prende 8 por incêndio em arranha-céu de Xangai

Entre os detidos estão quatro soldadores que podem ter provocado acidentalmente o fogo que atingiu o prédio de 28 andares e matou pelo menos 53 pessoas

Efe

17 de novembro de 2010 | 02h14

XANGAI, CHINA - A polícia chinesa deteve oito pessoas que teriam relação com o incêndio em um arranha-céu de Xangai, que deixou 53 mortos e mais de 70 feridos, informou o diário local Shanghai Daily nesta quarta-feira, 17.

Entre os oito detidos estão os quatro soldadores sem licença que foram detidos na manhã de terça-feira. Eles são suspeitos de terem iniciado, acidentalmente, o fogo que atingiu o edifício de 28 andares no distrito de Jingan. Não foram divulgados mais detalhes quanto as identidades dos outros quatro presos.

As autoridades locais ainda tentam determinar quantas pessoas se encontravam no local no momento do fogo, que começou na segunda-feira por volta das 4h (de Brasília), e o número de desaparecidos.

Dos 70 feridos hospitalizados, 15 estão em estado crítico, o poderá elevar o número de vítimas.

Este incêndio foi o pior dos últimos anos em Xangai e teve mais vítimas que o total dos mais de quatro mil casos registrados em 2010 até 25 de setembro, quando 33 morreram e 38 ficaram feridos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.