Luis Eduardo Noriega/Efe
Luis Eduardo Noriega/Efe

Polícia colombiana investiga massacre de camponeses

Autores supostamente fazem parte de gangue formada por criminosos comuns e ex-paramilitares de extrema direita

AE, Agência Estado

08 de novembro de 2012 | 16h22

BOGOTÁ - Autoridades colombianas ofereceram nesta quinta-feira, 8, uma recompensa de US$ 27,5 mil para quem oferecer informações que levem à localização dos autores intelectuais e materiais da matança de dez camponeses no norte da Colômbia, ocorrida na quarta-feira (dia 7). Supostamente, os autores do massacre fazem parte da gangue Los Rastrojos (Os Restos), formada por criminosos comuns e ex-paramilitares de extrema direita.

A matança ocorreu em uma chácara em Santa Rosa de Osos, no departamento (equivalente a Estado) de Antioquia, 275 quilômetros ao noroeste de Bogotá. Foi a primeira vez em meses que ocorreu um massacre desse tipo na Colômbia.

O general da polícia, José Guzmán, disse que três homens armados chegaram à chácara La España, no final da tarde, reuniram os camponeses e perguntaram se eles pagavam a "vacina" (extorsão). "Um dos trabalhadores, que aparentemente era o capataz (chefe) disse que não sabia. Logo após a resposta, eles começaram a atirar e mataram nove homens e uma mulher", disse Guzmán.

Segundo ele, um trabalhador sobreviveu e está em um hospital. "Esse foi um caso brutal, de assassinato de pessoas inocentes, foi uma barbárie", disse Guzmán. Os dez mortos tinham entre 30 e 40 anos, segundo as autoridades locais.

Com Ap

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaLos Rastrojosmassacre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.