Polícia consegue conter multidão que defende queda de Chaves

A polícia metropolitana de Caracas conseguiu conter na noite desta terça-feira uma multidão que defende a queda do presidente Hugo Chávez e que pretendia se dirigir à Praça do Panteon, onde simpatizantes de Chávez se encontram em vigília desde as primeiras horas da tarde, quando foi feita uma homenagem aos 172 anos da morte do libertador Simon Bolívar. A polícia, entretanto, redobrou esforços para evitar que milhares de pessoas passassem pela barreira policial que foi montada na Avenida Baralt, na proximidades do Panteon. "Temos de evitar problemas", gritou um dos policiais aos líderes da manifestação. Embora sem a certeza do número de simpatizantes de Chávez no Panteon, a polícia disse à oposição que o risco de confronto seria inevitável se ultrapassasse a barreira. Em entrevista aos canais de televisão, os policiais vem repetindo constantemente que tentarão fazer o possível para conter essa multidão. Aparentemente o risco de confronto com os simpatizantes de Chávez está fazendo com que algumas pessoas da oposição iniciassem uma retirada espontânea. Porém, grande parte dos manifestantes ainda permanece na avenida tentando ultrapassar a barreira policial. Um dos policiais sugeriu que a oposição enviasse uma comissão de algumas pessoas se realmente têm intenções de deixar uma oferenda floral em homenagem ao libertador.

Agencia Estado,

17 Dezembro 2002 | 21h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.