Reprodução / ABC News
Reprodução / ABC News

Polícia da Bélgica emite ordem de busca e captura contra suspeito de atentados

Departamento policial divulgou em sua conta no Twitter uma foto do suspeito registrada pelas câmeras de segurança do aeroporto. Agentes desarmaram uma terceira bomba

O Estado de S. Paulo

22 de março de 2016 | 14h54

BRUXELAS - A polícia federal da Bélgica emitiu nesta terça-feira, 22, uma ordem de busca e captura contra um dos suspeitos de envolvimento nos atentados terroristas no aeroporto de Zaventem em Bruxelas. O departamento policial também divulgou pela rede social Twitter uma foto do suspeito, registrada pelas câmeras de segurança do aeroporto.

Uma câmera captou imagens dos suspeitos de terem cometido os atentados ocorridos na manhã desta terça-feira, informou o jornal La Libre Belgique.

Nas gravações, divulgadas pela polícia local, é possível ver três homens, cada um deles empurrando um carrinho de bagagem. A imagem mostra que dois dos indivíduos, vestidos de preto, usavam luvas na mão esquerda, o que, segundo o La Libre Belgique, pode ter sido usado para esconder os detonadores dos explosivos.

O terceiro, que usa uma jaqueta branca, estaria sendo "ativamente procurado" pelas autoridades, de acordo com a imprensa belga.

O promotor federal Frédéric van Leeuw disse em entrevista coletiva ao lado do primeiro-ministro da Bélgica, Charles Michel, que uma das duas explosões ocorridas no aeroporto de Bruxelas "provavelmente foi causada por um suicida".

A polícia da Bélgica desativou nesta terça-feira uma terceira bomba colocada no Aeroporto Internacional de Zaventem que não explodiu junto com outros dois artefatos.

O governador da província de Brabant, Lodewijk de Witte, informou que duas bombas explodiram no terminal pouco depois das 8h (hora local), uma perto das instalações da companhia Brussels Airlines e outra nas proximidades da recepção da companhia American Airlines.

A terceira bomba não foi ativada, esclareceu De Witte. Fontes da polícia citadas pela agência de notícias estatal belga afirmaram que a busca por armas e suspeitos no aeroporto de Zaventem terminaram por volta das 15h30 locais (11h30 em Brasília).

Ainda não se sabe os resultados das investigações, mas a rede de televisão VTM informou que foi encontrado um colete de explosivos intacto, assim como um fuzil Kalashnikov perto do corpo de um dos terroristas.

Segundo Marc Decramer, administrador do hospital universitário Gasthuisberg, em Louvain, a maior parte das vítimas que foram levadas para o local tinham ferimentos que indicam que as bombas continham parafusos para causar o maior dano possível.

Investigação. A Grã-Bretanha enviará uma equipe de policiais especializados para cooperar na investigação dos atentados desta terça-feira em Bruxelas, indicou a porta-voz oficial do primeiro-ministro, David Cameron.

"Eles reunirão todo o material que possa ajudar na investigação. Tentamos averiguar o que aconteceu e quem ou o que são os responsáveis", explicou a porta-voz à imprensa.

Por outro lado, o Ministério de Relações Exteriores modificou suas recomendações de viagem à Bélgica, e aconselhou os britânicos a evitar deslocamentos que não sejam imprescindíveis e "a seguir as instruções das autoridades belgas".

No território britânico, a polícia reforçou a vigilância nos meios de transporte e portos, aeroportos e estações de trens internacionais. /COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.