REUTERS/Francois Lenoir
REUTERS/Francois Lenoir

Polícia da Bélgica encontra bandeira do Estado Islâmico em casa onde suspeito foi morto

Junto ao corpo do suspeito de disparar contra agentes durante operação antiterrorismo, foram descobertos um livro sobre salafismo e um fuzil Kalashnikov, com 11 carregadores cheios

O Estado de S. Paulo

16 de março de 2016 | 09h34

BRUXELAS - Autoridades da Bélgica encontraram uma bandeira do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no apartamento onde agentes mataram um homem durante uma operação antiterrorista realizada na terça-feira em Bruxelas, informou a Procuradoria federal do país nesta quarta-feira, 16.

Junto ao corpo foi descoberto um livro sobre salafismo e um fuzil Kalashnikov, com 11 carregadores cheios. Não foram encontrados explosivos no apartamento.

O suspeito que morreu durante a operação era um argelino que vivia ilegalmente na Bélgica e que cometeu um pequeno delito em 2014.

A Procuradoria belga o identificou como Mohamed Belkaid, nascido em 9 de julho de 1980, e afirmou que ele foi morto enquanto disparava com um fuzil por uma janela contra as forças de segurança que participavam da operação antiterror.

Nesta quarta-feira, dois suspeitos que teriam fugido após a troca de tiros foram presos, informou a emissora privada belga VTM.

Ligada às investigações dos atentados de novembro em Paris, a operação terminou com quatro oficiais feridos, entre eles um francês. “Uma ou várias pessoas atiraram imediatamente contra a polícia", indicou a Procuradoria em um comunicado. /EFE, AFP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.