Polícia da China usa apito e água contra protestos

Um grande número de policiais usando apitos e caminhões de limpeza de ruas entraram hoje em confronto com manifestantes na China. Este é o segundo domingo seguido de protestos pacíficos no país, após os movimentos recentes no Oriente Médio. Perto da Praça do Povo, em Xangai, a polícia usava apitos sem interrupção e gritava para as pessoas não pararem, apesar de 200 delas enfrentarem o barulho. Em Pequim, caminhões normalmente usados para limpar as ruas andavam pelo distrito comercial jogando água e mantendo as pessoas afastadas.

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2011 | 13h02

Em Xangai, autoridades convocaram jornalistas estrangeiros para, indiretamente, mantê-los afastados dos locais de protesto. A polícia em Pequim também seguia alguns repórteres e os impedia de entrar, com câmeras, em uma rua de comércio onde os manifestos eram convocados. As autoridades prenderam vários chineses, pelo menos dois em Pequim e quatro em Xangai, colocando-os dentro de vans e os levando embora, ainda que não estivesse claro se eles estariam tentando protestar.

Apesar de não se saber quantas pessoas decidiram participar dos protestos, a reposta em comparação com a manifestação da semana passada mostra que as convocações misteriosas deixaram o governo tenso. Diferentemente do Egito e da Tunísia, onde as frustrações populares com a economia foram o motivo para os protestos populares contra os líderes, a China tem uma economia saudável e altos padrões de vida. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaprotestosapitoáguamanifestantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.