Polícia da Europa cria departamento para investigar propaganda online do EI

Equipe lutará contra a propaganda do grupo na web e o recrutamento de jihadistas

O Estado de S. Paulo

22 de junho de 2015 | 20h30

PARIS - Uma nova unidade do Serviço Europeu de Polícia (conhecido como Europol) começará a lutar contra a propaganda online do Estado Islâmico (EI) e o recrutamento de jihadistas na web nos próximos meses.

O diretor do Europol, Rob Wainwright, disse nesta segunda-feira que a nova unidade vai começar a funcionar no dia 3 e contará com uma equipe com 15 profissionais que trabalharão próximo às companhias de redes sociais contra a propaganda do EI.

Wainwright disse que a Europol estima que o EI tenha dezenas de milhares de contas em redes sociais, que produzem propaganda diariamente. "O Estado Islâmico (EI) é a organização terrorista com maior atuação na rede que já vimos", disse Wainwright.

O chefe da Europol acredita que a combinação de investigações policiais em toda a Europa permitirá que a nova unidade combata as contas mais influentes. Ministros da Justiça da UE apelaram à criação da unidade em março, em resposta ao número crescente de pessoas recrutadas pelo EI.

A Europol estima que de 4 a 5 mil cidadãos europeus viajaram para a Síria e o Iraque para se juntar ao grupo militante. Quase um quinto dos mais de 20 mil estrangeiros que combatem no Iraque e Síria são originários da Europa Ocidental, segundo o Centro Internacional para os Estudos sobre a Radicalização, com sede em Londres.

Um estudo recente dos Estados Unidos identificou pelo menos 46 mil contas da rede social "Twitter" ligadas a apoiadores do EI, das quais três quartos utilizam a língua árabe. / AP e AFP


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.