Polícia da Indonésia diz ter matado líder terrorista

O líder terrorista indonésio Noordin Mohammed Top, o fugitivo mais procurado do sudeste asiático, morreu em uma ação policial noturna, anunciou hoje o chefe da polícia da Indonésia, Bambang Hendarso Danuri. Os agentes, buscando suspeitos por dois atentados contra hotéis em Jacarta, encontraram hoje um esconderijo no centro da Indonésia e iniciaram um tiroteio. Na troca de tiros e na explosão de uma bomba morreram quatro supostos islamitas, entre eles Noordin, segundo Danuri. Além disso, três supostos terroristas foram capturados.

AE-AP, Agencia Estado

17 de setembro de 2009 | 13h13

O corpo de Noordin foi encontrado em uma casa situada nas proximidades da aldeia de Solo, no centro de Java, após várias horas da operação policial, encerrada ao amanhecer. Danuri notou que as impressões digitais de um dos corpos coincidem com as de Nordin, obtidas pelas autoridades na Malásia, país onde o terrorista nasceu. "É Noordin M. Top", disse Danuri em entrevista coletiva veiculada pela emissora de televisão estatal. "É o líder da Al-Qaeda no sudeste asiático."

Centenas de quilos de explosivos, fuzis automáticos M-16, granadas e bombas foram retirados da casa, horas depois, enquanto ambulâncias levavam os corpos e os feridos. Segundo Danuri, a polícia pediu para que os suspeitos se rendessem, mas não foi atendida.

Noordin fugiu para a Indonésia em 2002, durante uma campanha de repressão aos insurgentes islamitas realizada na Malásia após os atentados de 11 de setembro de 2001, nos Estados Unidos. Ele foi vinculado a todos os atentados com explosivos importantes na Indonésia desde 2003, nos quais morreram dezenas de pessoas.

"O terrorista mais perigoso do sudeste asiático foi eliminado", notou o analista Jim Della Giacoma, diretor para o projeto da região do centro de investigações International Crisis Group. "Teria sido melhor se a polícia tivesse capturado ele vivo, mas aparentemente essa não foi uma alternativa viável", notou Giacoma. "Infelizmente, a morte de Noordin não significa o fim do terrorismo na Indonésia, ainda que este tenha recebido um golpe importante."

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiaterrorista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.