Polícia da Noruega volta a interrogar terrorista

O terrorista de ultradireita Anders Behring Breivik, autor confesso dos atentados em Oslo e Utoya, na Noruega, será ouvido mais uma vez hoje pela polícia do país. O objetivo dos agentes é esclarecer as dúvidas sobre a participação de "células" estrangeiras nos ataques, que mataram 76 pessoas.

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2011 | 00h00

Embora o serviço secreto norueguês não acredite na hipótese, a incerteza permanece não apenas pelo discurso ambíguo do terrorista: no momento de sua prisão, Breivik portava um walkie-talkie.

Ontem Henning Holtaas, porta-voz da polícia, confirmou que as investigações progrediram. "Sempre dissemos que não excluíamos a possibilidade de que outras pessoas pudessem estar implicadas", reiterou. Mas reconheceu: "A teoria dos eventuais cúmplices se enfraquece com o tempo. Nenhum indício para sustentá-la foi encontrado".

Depois das manifestações de apoio a Breivik de membros de partidos de extrema direita na França e na Itália, um Partido da Liberdade (FPÖ), da Áustria, anunciou a expulsão de um membro. Werner Königshofer, deputado de 58 anos, havia criticadoum jornal que advertira para o perigo das ações da extrema direita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.