Charles Krupa/Arquivo/AP
Charles Krupa/Arquivo/AP

Polícia de Boston prende mais três suspeitos ligados a atentado

Dois dos detidos seriam colegas de Dzhokhar Tsarnaev e teriam ajudado o acusado após o ataque

O Estado de S. Paulo,

01 de maio de 2013 | 12h23

(Atualizada às 15h40) BOSTON - A polícia de Boston afirmou que outros três suspeitos de envolvimento no atentado à maratona, que deixou três pessoas mortas e 264 feridas, foram presos nesta quarta-feira, 1. "Outros três suspeitos foram detidos no caso do atentado à maratona", informou a polícia, por meio de sua conta no twitter.

Os irmãos de origem chechena Tamerlan e Dhokhar Tsarnaev são acusados de plantar e detonar duas bombas em panelas de pressão perto da linha de chegada da Maratona de Boston. Tamerlan, de 26 anos, foi morto em um tiroteio com a polícia quatro dias depois do atentado.

Dzhokhar, de 19 anos, foi ferido e capturado após uma caçada policial. Com um tiro na cabeça e outro no pescoço, seu estado ficou tão grave que ele só conseguia se comunicar por gestos e por escrito. Na semana passada, Dzhokhar melhorou, deixou o hospital em que estava internado e foi levado para a prisão de Fort Devens, em Massachusetts.

Segundo fontes policiais, os três detidos nesta quarta-feira são acusados de ajudar os irmãos Tsarnaev após o atentado. Dois deles são do Casaquistão e eram colegas de Dzhokhar na Universidade de Massachusetts.

Azamat Tazhayakov e Dias Kadyrbayev foram detidos por funcionários da imigração dos EUA e apareceram em um vídeo durante uma audiência de violação dos termos de seu visto de permanência no país. A polícia investiga, segundo as fontes, que falaram em condição de anonimato, se os dois destruíram um computador e jogaram fora uma mochila, a pedido de Dzhokhar, após as explosões na Maratona de Boston.

O governador de Massachusetts, Deval Patrick, após ser informado das denúncias, disse entender que os dois detidos não participaram do atentado, mas teriam ajudado Dzhokhar após o ataque. 

A terceira pessoa detida é um cidadão americano. Robel Phillipos é acusado de dar falsos testemunhos a investigadores americanos após o ataque em Boston. / REUTERS e AP

Em reportagem, CNN mostrou foto dos dois colegas de Dzhokhar:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.