EFE
EFE

Polícia de Hong Kong detém 12 manifestantes pró-democracia

Os participantes dos protestos, que exigem mais democracia no território chinês, são na maioria estudantes e ocupam as ruas há meses

O Estado de S. Paulo

25 de dezembro de 2014 | 10h01

A polícia de Hong Kong deteve 12 manifestantes que bloqueavam várias vias da cidade. Os participantes dos protestos, que exigem mais democracia no território chinês, voltaram para um local que haviam ocupado por mais de dois meses antes de serem dispersados pela polícia, informaram autoridades nesta quinta-feira.

Um comunicado diz que a polícia usou spray de pimenta e cassetetes durante a noite para conter um protesto no bairro de Mong Kok e deteve os manifestantes sob a acusações que vão de ataque a oficial a polícia à falta de meios para provar a identidade. O documento diz que dois policiais ficaram feridos.

"A polícia fez repetidos anúncios públicos e colocou faixas de advertência no local para pedir a eles que saíssem de lá, mas eles se recusaram", diz o comunicado.

Nos últimos meses, milhares de manifestantes, a maioria estudantes, ocuparam três bairros bastante movimentados, dentre eles Mong Kok, para exigir que os moradores da antiga colônia britânica escolham seu principal líder a partir de uma lista aberta de candidatos. Autoridades chinesas exigem que um comitê, aliado a Pequim, selecione os candidatos. A polícia desmantelou o último acampamento de protesto em 15 de dezembro. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.