Polícia de Israel evacua prédio ocupado por colonos em Hebron

Agentes policiais evacuaram neste domingo, nacidade de Hebron, na Cisjordânia, após violentos confrontos com extremistas israelenses, três famílias de colonos entrincheiradas emum edifício palestino ocupado ilegalmente. Pelo menos 18 pessoas ficaram feridas nos enfrentamentos entre as forças policiais e dezenas de militantes de assentamentos judeusvizinhos que tinham se concentrado desde sábado à noite na região para impedir o despejo, segundo fontes policiais. Dos feridos, 13 são oficiais e cinco extremistas, detalharam as fontes, que informaram que os radicais feriram um olho de um agente. A evacuação das famílias, todas com filhos pequenos, foi realizada sem violência ou registro de vítimas, segundo fontes policiais, que declararam que ainda seriam evacuados do edifício cerca de 15 extremistas em cumprimento de uma ordem judicial. Os incidentes ocorreram antes mesmo de os policiais de fronteira invadirem o edifício ocupado há um mês pelas famílias, que haviam se entrincheirado depois que o Tribunal Superior deJustiça de Israel anunciou a ordem de evacuação do local. As áreas próximas ao edifício foram declaradas zona militar, sob controle do Exército israelense, responsável pela segurança geral nessa região de Hebron que abriga cerca de 130 mil palestinos.Ovos e pedras Tentativas para uma evacuação voluntária do edifício fracassaram, disseram fontes policiais antes do despejo. "O Tribunal Superior sempre decide contra tudo que seja judeu", disse o chefe de uma das famílias desalojadas, o rabino IsraelSchlisel, para quem os juízes e a polícia "são enganadores". O chefe da operação policial, Eli Zamir informou que seus oficiais foram atacados pelosradicais com ovos, pedras e garrafas. Cinco dos extremistas foram detidos após furarem os pneus de um camburão. A ação de despejo coincidiu com a realização da primeira reunião do novo governo do primeiro-ministro Ehud Olmert, decidido a "fixar fronteiras definitivas e defensáveis de Israel" com ospalestinos na Cisjordânia. Calcula-se que, para isso, terá que evacuar dezenas de assentamentos judaicos e cerca de 70 mil colonos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.