Polícia de Londres investigará ataque a carro do príncipe Charles

Rolls-Royce foi depredado por manifestantes durante protestos contra votação no Parlamento

Associated Press

10 de dezembro de 2010 | 12h35

Jornais desta sexta destacaram ataque ao carro do casal real.

 

LONRES - A polícia de Londres lançará uma investigação sobre os ataques praticados contra o carro que transportava o príncipe Charles e sua esposa na quinta-feira durante os protestos de estudantes contra o aumento das taxas de matrícula nas universidades britânicas.

 

A medida foi anunciada nesta sexta, 10, pelo chefe da Polícia Metropolitana, que repreendeu os manifestantes que se aglomeraram em frente ao Parlamento na quinta. Eles protestavam contra uma votação para aumentar os custos da educação, medida que é parte do programa de corte de gastos do primeiro-ministro David Cameron.

 

Um grupo de estudantes atacou o Rolls Royce que levava o príncipe Charles e sua esposa, Camilla, quebrando uma das janelas do carro e jogando tinta branca sobre a lataria. O casal apareceu visivelmente assustado em fotos do incidente, mas saiu ileso.

 

Cameron afirmou que a polícia deve aprender com o incidente, mas que não deve se sentir culpada. O Premie ainda falou que os responsáveis devem "sentir todo o peso da lei". "Sejamos bem claros. A responsabilidade de destruir propriedade, ou de praticar a violência, recai sobre as pessoas que cometeram essas ações, e quero vê-las presas e castigadas como devem ser", disse o premiê.

 

Pelo projeto aprovado pelo Parlamento, o piso das anuidades dos empréstimos em universidades inglesas passaria de 3.290 libras (R$ 8,9 mil) para 6 mil libras, e algumas universidades poderiam cobrar até 9 mil libras em "circunstâncias excepcionais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.