Polícia de Los Angeles detém suspeito de ataques incendiários

Desde quinta-feira, 55 carros foram alvo de coquetéis Molotov em várias partes da cidade e seus arredores

LOS ANGELES, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2012 | 03h08

A polícia de Los Angeles deteve uma pessoa suspeita de estar ligado a 55 incêndios, a maioria contra carros, em uma série iniciada na quinta-feira, informou o Corpo de Bombeiros da cidade ontem. Durante o dia, vários casos foram relatados em Hollywood e nas áreas próximas, segundo as autoridades.

O suspeito foi detido horas depois de a polícia local divulgar um vídeo de um homem que, segundo as autoridades, testemunhas e câmeras de segurança identificaram próximo de vários lugares onde houve incêndios. O vídeo divulgado pela polícia mostra um homem de aproximadamente 30 anos vestido de preto e usando rabo de cavalo.

Desde que os ataques começara, 55 incêndios foram relatados, incluindo 45 na área de Los Angeles, 9 em Hollywood e 1 em Burbank. A maioria ocorreu em carros, com alguns se espalhando para garagens e casas.

Cleon Joseph, porta-voz da polícia, pediu que os moradores da cidade fiquem atentos a toda atividade considerada suspeita. "Mantenham as luzes acesas, observem tudo à volta. Se virem algo suspeito, chamem a emergência", disse.

O comandante policial Andrew Smith afirmou que dezenas de detetives trabalharam durante a noite para colher evidências sobre os casos.

"Os oficiais estão trabalhando sem interrupção. Temos centenas de pistas, dezenas de testemunhas e incontáveis evidências", declarou. Apesar da prisão do suspeito, as autoridades ainda investigam se os ataques têm um ou vários autores diferentes.

Ninguém ficou seriamente ferido nos incêndios registrados, mas um bombeiro sofreu escoriações enquanto combatia chamas em um dos focos. Os bombeiros não sabem dizem como os incêndios começaram. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.