EFE/Dedi Sinuhaji
EFE/Dedi Sinuhaji

Polícia de Marrocos prende casal por se beijar durante as horas de jejum do Ramadã

Segundo um representante da Associação Marroquina de Direitos Humanos em Marrakesh, outras duas pessoas também foram detidas por beber água durante o jejum

O Estado de S. Paulo

16 Junho 2016 | 11h48

RABAT - A polícia do Marrocos deteve um casal na quarta-feira na cidade de Marrakesh, no sul do país, por se beijar durante as horas de jejum do Ramadã, informaram fontes da Associação Marroquina de Direitos Humanos (AMDH).

O representante em Marrakesh da AMDH, Omar Arbib, explicou que o homem e a mulher estavam escondidos perto de um edifício quando foram surpreendidos por uma patrulha policial em Gueliz, um dos bairros mais abastados da cidade.

Por outro lado, Arbib acrescentou que na segunda-feira passada um grupo de pessoas na mesma cidade espancou um jovem que estava fumando em plena luz dia em uma sala de jogos.

No mesmo dia, outras duas pessoas foram detidas e estão sendo processadas em liberdade condicional por beber água durante as horas de jejum na cidade de Zagora, no sul do país, completou Arbib.

No Marrocos, o artigo 222 do Código Penal castiga com penas de entre um e seis meses de prisão "todo indivíduo notoriamente conhecido por sua filiação ao Islã que rompa ostensivamente o jejum em um lugar público durante o Ramadã".

Um dos cinco pilares do Islã, o Ramadã proíbe todo muçulmano de comer, beber, fumar ou ter relações sexuais nas horas do dia entre a alvorada e o pôr do sol. A infração pública do jejum é crime em vários países árabes e muçulmanos. /EFE


Mais conteúdo sobre:
RamadãjejummuçulmanosMarrocos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.