Polícia de Mossul garante que não prendeu Berg

O chefe da polícia iraquiana em Mossul, norte do Iraque, Mohammed Khair Barhawi, negou que o americano Nicholas Berg, de 24 anos, decapitado por radicais islâmicos, tenha sido preso por seus homens. "A polícia iraquiana nunca prendeu o americano assassinado", disse Barhawi a repórteres. "Acredite em mim... tais notícias não têm fundamento".Berg, um judeu americano, desapareceu em abril e seu corpo mutilado foi encontrado no sábado em Bagdá. Três dias depois, um site ligado à rede terrorista Al-Qaeda exibiu imagens de vídeo de Berg sendo decapitado com um facão. Ele tinha ido ao país por conta própria, para fazer negócios em telecomunicações.A família de Berg responsabiliza o governo americano pela morte, alegando que ele ficara sob custódia das tropas dos EUA. Mas as autoridades dos EUA garantem que ele foi preso pela polícia iraquiana.Para reforçar seu argumento, a família de Berg mostrou hoje à Associated Press um e-mail de 1º de abril enviado por Beth A. Payne, funcionária consular dos EUA no Iraque. "Confirmei que seu filho, Nick, está detido por militares dos EUA em Mossul. Ele está seguro?.O irmão de Berg, David, exigiu que o governo Bush esclareça seus contatos com o americano decapitado antes de sua morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.