Polícia de NY reforça segurança na cidade após ataques em Paris

Cerca de 350 policiais de elite farão patrulhamento em regiões da cidade; locais que têm conexão com a França estão sob vigilância

Altamiro Silva Junior, correspondente, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2015 | 21h34

NOVA YORK - A polícia de Nova York entrou em alerta nesta sexta-feira, 13, e reforçou a segurança em alguns locais de Nova York após os ataques em Paris. Entre eles, o consulado da França em Manhattan, que vem sendo guardado por oficiais do Departamento de Polícia de Nova York (NYPD, na sigla em inglês), além de outros locais que têm conexão com o país europeu, como a representação da França nas Nações Unidas. Além disso, o Grupo de Respostas Estratégicas do NYDP fará patrulhamento especial em regiões da cidade.

Esse grupo é formado por 350 policiais de elite, especializados em contraterrorismo e controle de distúrbios em áreas-chave da cidade, como a Times Square, um dos locais mais visitados por turistas. Agentes da polícia de Nova York declararam às redes de televisão locais que não há ameaça de ataque terrorista na cidade, mas a NYPD resolveu redobrar a segurança.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, afirmou no início da noite de hoje que a polícia da cidade está "monitorando a situação de perto" e em "contato próximo" com oficiais em Paris e agentes em Washington. 

O governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, disse que a polícia estadual, o centro de inteligência do Estado e a divisão de segurança interna estão monitorando "de forma ativa" a situação em busca de qualquer ameaça para a região.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaParis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.