Ian Langsdon/EFE
Ian Langsdon/EFE

Polícia de Paris prende mais um suspeito por ataque a faca perto da antiga sede do Charlie Hebdo

Até a manhã deste sábado, 26, sete pessoas estavam detidas por suposta relação com o ataque que deixou dois feridos

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2020 | 04h52

PARIS - A polícia francesa prendeu o ex-colega de apartamento do principal suspeito pelo ataque a faca em Paris nesta sexta-feira, 25. O crime ocorreu em frente à antiga sede da revista satírica Charlie Hebdo.

O principal suspeito, preso na praça da Bastilha pouco depois do ataque que deixou dois feridos, é um homem de 18 anos, nascido no Paquistão, que chegou à França três anos atrás.

As autoridades policiais afirmaram que outra pessoa que permanecia detida, um argelino de 33 anos, foi liberado após a Justiça considerar que o homem não tinha ligação com o crime.  

Sete pessoas seguem presas na manhã deste sábado, 26. Cinco delas estavam em uma das supostas residências do principal suspeito, em Pantin, um subúrbio de Paris.

O ataque desta sexta-feira aconteceu enquanto é realizado o julgamento do sangrento atentado contra o Charlie Hebdo em janeiro de 2015, que resultou na morte de 12 pessoas. 

"É um ataque terrorista islamista, um novo ataque contra o mesmo país", disse o ministro do Interior francês Gérald Darmanin.

Os dois feridos no ataque desta sexta são funcionários de uma empresa localizada nas redondezas do antigo prédio do Charlie Hebdo. Eles seguem hospitalizados, mas não correm risco de morte./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.