Polícia desafia corte e não liberta ativistas

A polícia do Zimbábue enviou a uma prisão de segurança máxima a defensora dos direitos humanos Jestina Mukoko e outros oito ativistas, disse ontem o advogado Alec Muchadehama. A medida desrespeitou a Suprema Corte, que considerou as prisões ilegais e ordenou a libertação dos ativistas. Na quarta-feira, a polícia acusou os militantes de recrutar interessados em participar de um golpe contra o presidente Robert Mugabe. Para Muchadehama, a acusação teve motivação política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.