Polícia desativa carta-bomba para prefeito de Gênova

Uma carta-bomba enviada ao prefeito de Gênova, Antonio Di Giovane, foi detectada e desativada nesta segunda-feira pela polícia local. A bomba, capaz de provocar uma grande labareda, mas não uma explosão letal, era semelhante às enviadas à sede da emissora de TV Canal 4 e à Sociedade Benetton nos dias que antecederam à reunião de cúpula do Grupo dos Oito, realizada na cidade entre sexta-feira e domingo. O Canal 4 pertence ao primeiro-ministro conservador italiano, Silvio Berlusconi. A carta-bomba desativada nesta segunda chegou à sede da prefeitura de manhã pelo correio regular. O carimbo de origem estava ilegível, e o envelope trazia como remetente o nome de uma pessoa inexistente em Gênova. A carta despertou suspeitas da funcionária da prefeitura encarregada da correspondência, que chamou a polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.