Polícia desconfia que um serial killer está à solta nos EUA

Os corpos traçam um rasto de morte do Texas ao norte do Mississipi, descarregados no lixo, ao longo de rodovias ou perto de riachos. Algumas das sete mulheres foram estranguladas. A maioria era prostituta. Algumas foram vistas pela última vez em paradas de caminhões.Hoje, mais de 40 investigadores de cinco Estados e cinco agências encontraram-se na cidade de Oklahoma para comparar anotações e determinar se as mulheres foram vítimas do mesmo assassino ? talvez um motorista de caminhão de longo percurso, caçando prostitutas em pontos de parada da caminhoneiros.Os corpos foram descobertos entre julho do ano passado e janeiro deste ano em quatro Estados - Oklahoma, Arkansas, Texas e Mississippi.Será um caso difícil de resolver, reconheceu hoje Jessica Brown, porta-voz do Oklahoma State Bureau of Investigation.?Essas vítimas não paravam num lugar por muito tempo?, disse. ?As pessoas não as conhecem. Muitas dessas vítimas não tinham muito contato com suas famílias. Muitas vezes, as famílias nos ajudam a resolver os crimes.?Das sete vítimas, ao menos seis eram prostitutas. Quatro vivam na área de Oklahoma City. Também quatro foram vistas pela última vez numa parada de caminhões e três foram estranguladas. Algumas tinham entre 30 e 40 anos. Uma, apenas 19. A maioria dos corpos estava nu.?Não acho que consigamos ligar definitivamente qualquer dos casos?, acredita Jessica.O investigador Todd Hignight, do Departamento de Polícia do Condado de Pottawatomie, examinou cuidadosamente um dos crimes ? o de Patsy Laverne Leonard, uma prostituta encontrada estrangulada dia 1º de janeiro.?Já estamos esgotando as pistas?, confessou.Além de Leonard, as vítimas são: Casey Jo Pipestem, Sandra Beard, Jennifer Hyman, Margaret Gardner, Sandra RichardsonE uma mulher não identificada achada no Texas.O Tennessee também enviou um policial ao encontro, na tentativa de determinar se os assassinatos de duas prostitutas em 2001 podem estar ligados a essas mortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.