Polícia detém 200 durante protesto contra Putin

Forças de segurança russas detiveram ontem cerca de 200 pessoas em São Petersburgo durante mais um dia de protestos contra o presidente Vladimir Putin, a uma semana das eleições parlamentares. Entre os manifestantes da oposição presos ontem estavam Boris Nemtsov e Nikita Belykh, líderes da União das Forças de Direita (SPS). Ambos são candidatos às eleições de domingo e foram liberados logo depois. "Eles estão nos proibindo de discutir a política de Putin", disse Nemtsov à multidão.No sábado, o líder opositor e ex-campeão de xadrez Garry Kasparov foi preso em Moscou, juntamente com outros manifestantes. Segundo as autoridades, ele ficará cinco dias detido. Os EUA criticaram ontem a prisão de Kasparov e mostraram-se preocupados com a repressão. "Estamos apreensivos", disse um porta-voz da Casa Branca.KGBO ex-diretor da KGB (polícia secreta da extinta União Soviética) Vladimir Kryuchkov morreu sexta-feira aos 83 anos, informou ontem a mídia russa. Ele dirigiu a KGB durante quase três anos, até 1991, quando foi expulso por ter participado do fracassado golpe contra o então líder soviético Mikhail Gorbachev.EFE E REUTERS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.