Polícia detém 30 em protesto pró-Tibete em embaixada na Índia

Manifestantes tentaram invadir sede diplomática chinesa às vésperas de aniversário da rebelião de 1959

Efe,

09 de março de 2010 | 11h16

Tibetanos isolados foram detidos durante manifestações. Manish Swarup/AP

 

NOVA DÉLHI - Cerca de 30 ativistas pró-Tibete foram detidos nesta terça-feira, 9, quando protestavam em frente à embaixada da China em Shantipath, na Índia, contra a submissão do território dos Himalaias a Pequim, informou a Polícia local. As manifestações ocorrem às vésperas do aniversário da rebelião de 1959.

 

Os ativistas, que levavam cartazes e gritavam frases como "Tibete livre!", tentaram entrar na embaixada chinesa, "mas foram detidos pelas forças policiais e levados à delegacia", disse o subdelegado S. Dash. O oficial disse que a Polícia já previa manifestações com a aproximação da data, comemorada no dia 10 de março, e por isso havia reforçado a segurança perto da sede diplomática.

 

Em 1959, quando ocorreu a rebelião, o dalai-lama se viu obrigado a abandonar o Tibete e, exilado, estabeleceu um governo em McLeodganj, ao noroeste da Índia, país onde vivem atualmente cerca de 100 mil tibetanos.

 

Até o momento, nenhuma das rodadas de negociação entre China e os tibetanos exilados produziram resultados efetivos. As conversas ocorrem desde 2002.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaTibeteprotestoÍndiadalai-lama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.