Polícia detém mais 200, após novos distúrbios em Copenhague

Cerca de 200 manifestantes, entre eles muitos alemães, foram detidasna noite de sexta-feira, 2, em Copenhague durante os graves distúrbios e confrontos entre a polícia de jovens radicais que protestavam contra o fechamento e despejo de um centro juvenil alternativo.A polícia de Copenhague, que recebeu reforços de todo o país, não revelou o número exato de estrangeiros detidos durante os distúrbios. O único ferido foi um manifestante atingido por uma pedrada.Já na noite de quinta-feira, 1, por conta deste protesto, a polícia havia comunicado a detenção provisória de 217 pessoas em Copenhague.Inicialmente pacífica, porém não autorizada, a manifestação desta sexta reuniu cerca de mil pessoas e à noite degenerou em violência. Pequenos grupos de radicais atacaram os policiais com coquetéis molotov, pedras e garrafas.Os policiais usaram gás lacrimogêneo e cassetetes para dispersar os manifestantes, que incendiaram as barricadas que haviam erguido, além de queimar vários veículos estacionados nas ruas.Perto do Estado Livre de Christiania, o complexo urbano no centro de Copenhague que abriga uma grande comuna anarquista, os manifestantes atacaram e destruíram um colégio.Os distúrbios duraram várias horas. A partir da meia-noite, o ambiente ficou mais calmo e os confrontos pararam.SolidariedadeOs protestos em Copenhague estão sendo acompanhados por manifestações de solidariedade de jovens radicais em outras cidades européias, principalmente na Alemanha.Em Berlim, o complexo arquitetônico que abriga as embaixadas da Escandinávia, entre elas a da Dinamarca, foi na noite de sexta-feira, 2, protegido por um forte dispositivo policial, que neste sábado, 3, foi reduzido.O clube Ungdomshuset de Copenhague era ocupado ilegalmente desde 1981. No ano passado, o imóvel foi vendido pela Prefeitura da capital a uma igreja independente.Após o seu despejo por forças antidistúrbios na noite de quinta-feira, os "ocupas" dinamarqueses pediram a ajuda de outros jovens de países vizinhos. Muitos deles participaram da batalha campal que aconteceu na noite de sexta-feira, 2.Atualizado às 10h12 para recontagem de detidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.