Daniel Munoz /REUTERS
Daniel Munoz /REUTERS

Polícia detém sequestrador que mantinha menina refém na Austrália

Homem de 52 anos mantinha há 12 horas suposta filha sob mira de uma bomba

EFE

06 Setembro 2011 | 09h51

SYDNEY - A Polícia australiana prendeu nesta terça-feira em Sydney o homem que há 12 horas mantinha uma menina, aparentemente sua filha, refém sob a mira de uma bomba, indicaram fontes oficiais à imprensa australiana.

 

O suposto sequestrador entrou em um edifício do complexo judicial acompanhado da menina e gritou que trazia uma bomba na mochila, segundo relataram testemunhas.

 

A Polícia abriu passagem até o local onde se encontrava o suposto sequestrador enquanto uma equipe de agentes negociava sua rendição.

 

A menina, de 12 anos e que está sendo examinada pelos médicos, saiu correndo do edifício poucos minutos antes das forças de segurança entrarem para prender o sequestrador, de 52 anos e cujo grau de parentesco com a refém não foi confirmado pelas autoridades.

 

O porta-voz da Polícia, Dennis Clifford, explicou à imprensa que decidiu agir quando as negociações com o sequestrador chegaram a um impasse.

 

Clifford acrescentou que a menina está abalada, mas bem, e que foi entregue a sua família imediatamente.

Nesta manhã várias patrulhas policiais isolaram dezenas de edifícios do coração financeiro de Sydney por conta do sequestro.

 

O homem apareceu à janela em duas ocasiões, uma delas sem camisa, e cuspiu em uma das perucas que são utilizadas pelos advogados durante as audiências judiciais, segundo mostraram as imagens do canal "Channel Nine".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.