Polícia dispersa manifestação contra lixo nuclear

A polícia utilizou canhões de água para isolar os manifestantes na cidade de Dannenberg, no norte da Alemanha, nesta quarta-feira, depois que um trem carregado com 60 toneladas de lixo nuclear chegou com um dia de atraso, após ser bloqueado por manifestantes que se acorrentaram aos trilhos. Escoltado por sete helicópteros, o comboio entrou na cidade de Dannenberg ao cair da noite, pouco antes das 19h30 locais. Manifestantes posicionados ao lado da estrada de ferro vaiavam e gritavam: "Vá embora!" Aproximadamente uma hora e meia mais tarde, os vagões que transportavam o lixo nuclear entraram no depósito fortemente protegido em Dannenberg, onde a radioatividade dos seis contêineres ainda será testada antes de eles serem transferidos para caminhões, concluindo uma viagem de 600 quilômetros desde uma usina francesa de reprocessamento. Enquanto o comboio que trazia o lixo nuclear passava pela cidade, mais de mil oficiais de polícia isolavam os manifestantes, que vinham de diversas direções. Em algumas ocasiões, a polícia cercou a multidão e os campos improvisados montados pelos manifestantes. Os organizadores utilizaram alto-falantes para pedir calma e a polícia acusava os manifestantes de terem atacado oficiais. O campo foi cercado pela polícia, que montou um forte cordão de isolamento, e um tenso impasse foi iniciado. Um grupo de crianças chorava. "Tudo estava tranqüilo por aqui até a polícia aparecer", reclamou o manifestante Alfred Skallweit, da cidade Muetzingen, situada nas proximidades. "Isto aqui parece uma zona de guerra." Os manifestantes são contra o que eles alegam ser uma carga muito perigosa de lixo radioativo transportada pelo território alemão. Eles têm o objetivo de tornar o transporte tão custoso que o governo seja obrigado a mudar sua idéia sobre planos similares no futuro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.