Polícia divulga primeiros nomes e fotos de vítimas

População começa a retomar a rotina, mas homenagens continuam; tributos se concentram na catedral de Oslo

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

OSLO

Quatro dias depois dos ataques terroristas da Noruega, as vítimas começaram a ganhar nomes e rostos para a opinião pública. Por decisão do governo, as informações sobre 6 dos 76 mortos na Ilha de Utoya e no ataque contra um centro administrativo em Oslo foram divulgadas ontem à imprensa.

Distribuídas no final da tarde, as imagens provocaram um novo pico na dor coletiva que toma o país. O clima de emoção voltou a crescer, e pessoas choravam em público. Em torno da catedral de Oslo, os tributos continuam.

Até então, o Ministério da Justiça não havia autorizado a polícia a expor as vítimas. A decisão cumpre uma promessa do primeiro-ministro Jens Stoltenberg, que garantira máxima transparência no caso.

As seis vítimas são Gunnar Limaker, de 23 anos, Trond Berntsen, 51 anos, e Tore Eikekand, 21 anos, mortos pelo atirador Anders Behring Breivik na Ilha de Utoya, e Tove Ashill Knutsen, de 56 anos, Hanna Orvik Endresen, 61 anos, e Kai Hauge, 32 anos, mortos no atentado em Oslo.

Segundo a polícia, uma nova relação de vítimas será divulgada hoje. "Nós não vamos esperar até que todos os nomes estejam identificados", afirmou um dos diretores de polícia de Oslo, Anstein Gjengedal.

Apesar da cautela da polícia, as imagens dos mortos já vêm sendo exploradas pelos tabloides. Algumas, como a de John Nuo, de 14 anos, foram afixadas pela capital. A maior concentração de homenagens é na catedral da cidade, por onde milhares de noruegueses já passaram nos últimos dias.

Na Rua Grubbengata, onde ocorreu a explosão em Oslo, uma grade instalada pela polícia foi coberta com flores em homenagem às vítimas. "Ele atacou com armas em suas mãos. Nós respondemos com rosas em nossas mãos", disse Kristine M., moradora de Kafjord. Uma nova passeata, a Marcha das Rosas, deve ser realizada hoje em Oslo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.