REUTERS/Fabrizio Bensch
REUTERS/Fabrizio Bensch

Polícia diz que seis primeiras vítimas identificadas do ataque em Berlim têm nacionalidade alemã

Presidente do Escritório Federal de Investigação Criminal alemão disse que trabalhos de identificação continuam

O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2016 | 14h24

BERLIM - A Polícia da Alemanha informou nesta terça-feira, 20, que as 6 primeiras vítimas dentre as 11 atropeladas no dia anterior por um caminhão em uma feira natalina de Berlim são de nacionalidade alemã, que se somam ao corpo encontrado no banco do carona com marca de tiro.

O presidente do Escritório Federal de Investigação Criminal alemão (BKA), Holger Münch, disse em entrevista coletiva que esse é primeiro balanço e os trabalhos de identificação continuam. Ao todo 48 pessoas, sendo que 18 estão gravemente feridas, foram encaminhadas para diferentes hospitais de Berlim após o ataque.

Já o promotor federal Peter Frank afirmou que todos os indícios levam a crer que a ação é um "atentado com cenário terrorista" cometido por uma pessoa ou um grupo e, provavelmente, o único detido não faz parte dele.

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, compareceu nesta terça-feira ao local do ataque acompanhada pelos ministros do Interior, Thomas de Maizière, e das Relações Exteriores, Franz-Walter Steinmeier, além do prefeito-governador de Berlim, Michael Müller. Eles depositaram flores junto à igreja Gedächtniskirche, que fica ao lado da feira e foi escolhido espontaneamente pelos cidadãos para deixar mensagens de solidariedade.

Em um comparecimento anterior, Merkel se disse comovida, triste e indignada com o ocorrido e acrescentou que, se for confirmado que o ataque foi cometido por alguém "que chegou ao país em busca de refúgio", isso seria "especialmente repugnante". / EFE

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Terrorismo Angela Merkel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.