Polícia do Bahrein volta a reprimir protestos na capital

A tropa de choque da polícia do Bahrein lançou bombas de gás lacrimogêneo e granadas de efeito moral na repressão a um protesto contra a monarquia realizado hoje em Manama, a capital do país. Na periferia da cidade, uma outra manifestação transcorria pacificamente nesta sexta-feira.

AE, Agência Estado

12 de outubro de 2012 | 15h17

O protesto contra o governo reprimido violentamente pelo governo foi liderado pela filha de Nabeel Rajab, um defensor dos direitos humanos preso pelas autoridades bareinitas. Repórteres da Associated Press testemunharam diversas prisões, mas não havia informações oficiais sobre números de detidos e de eventuais feridos.

Desde fevereiro do ano passado, integrantes da comunidade xiita protestam sistematicamente para reivindicar mais direitos e liberdades civis. Os xiitas representam a maioria da população do Bahrein, mas o país é controlado por uma minoria sunita. A repressão aos protestos ordenada pelo governo resultou na morte de mais de 50 pessoas.

A pequena nação insular situada no Golfo Pérsico tem grande importância geopolítica. O Bahrein sedia a Quinta Frota da Marinha dos Estados Unidos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Bahreinprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.