Polícia do Peru abre fogo contra plantadores de coca

A polícia peruana abriu fogo contra plantadores de coca que protestavam contra a erradicação do cultivo, que é a matéria-prima da cocaína. Dois fazendeiros foram mortos depois de terem atacado uma delegacia de polícia nas proximidades da fronteira com a Bolívia, informa o Ministério do Interior. O confronto ocorreu em San Gaban, 730 km a sudeste da capital. As autoridades recentemente descobriram 3.000 hectares de plantação de coca na região e se mobilizaram para destruir as culturas e desmontar 10 laboratórios onde as folhas eram processadas para gerar pasta de cocaína. A nota do Ministério do Interior diz que os policiais recorreram ao uso de força letal para evitar que suas armas fossem tomadas, quando se viram cercados por 800 cultivadores de coca. Havia 85 policiais no local. O prefeito de San Gaban, Adolfo Huamantica, disse a uma rádio que a violência foi causada pelo governo, que descumpriu a promessa de negociar com os plantadores. Huamantica disse que os agricultores querem "conversar diretamente" e exigem "cessação imediata" do trabalho de erradicação. O governo peruano permite o cultivo de cerca de 10.000 hectares de coca para produzir planta para mascar e para venda a empresas que fazem cocaína farmacêutica, chá de coca ou xaropes para refrigerantes.

Agencia Estado,

19 Outubro 2004 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.