Reuters
Reuters

Polícia é chamada a complexo de clérigo turco nos EUA após relato de tiros

Segurança disparou tiro de alerta e suposto invasor fugiu; não há relato de ferimentos ou prisões

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 16h04

WASHINGTON - A polícia foi chamada ao complexo de Fethullah Gulen, clérigo turco radicado nos Estados Unidos e acusado pela Turquia de instigar um golpe de Estado fracassado em 2016, no interior do Estado da Pensilvânia nesta quarta-feira, 3, depois que um segurança viu um possível invasor armado, disse um porta-voz de Gulen.

O segurança disparou um tiro de alerta e o suposto invasor fugiu, segundo o porta-voz. Não há relato de ferimentos ou prisões e o incidente está encerrado, disse Alp Aslandogan, assessor de mídia de Gulen, à agência Reuters.

Vários carros da Polícia Estadual da Pensilvânia foram vistas ao redor do complexo e retiro murado de Saylorsburg, nas Montanhas Pocono, de acordo com fotos compartilhadas por repórteres locais na internet.

A polícia, que deixou o local uma hora ou duas mais tarde, não respondeu a pedidos de comentários, mas disse à mídia local que compareceu para investigar um incidente não especificado.

O presidente Recep Tayyip Erdogan e o governo turco acusam Gulen de orquestrar uma tentativa de golpe em julho de 2016 durante a qual soldados rebelados tomaram posse de tanques e caças e bombardearam o Parlamento. Mais de 240 pessoas morreram nos episódios de violência. Gulen nega as acusações. / REUTERS 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.