Polícia e estudantes enfrentam-se no Irã

A polícia entrou em choque com milhares de iranianos que participaram de uma manifestação contra o governo no fim da noite de terça-feira em Teerã. A manifestação começou como um protesto de estudantes contra o plano de privatizar universidades.Mas o protesto se transformou em uma demonstração maior, com uma multidão fazendo uma passeata pelas ruas que cercam a Universidade de Teerã, denunciando a linha-dura do regime islâmico. A polícia usou violência para dispersar os manifestantes, que cantaram slogans pedindo a libertação de prisioneiros políticos e a renúncia do presidente do país, Mohammad Khatami. No começo da terça-feira, a maior organização de estudantes do Irã criticou o líder religioso supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, pedindo a ele que escolha o caminho da democracia, sob pena de sofrer a destruição do governo islâmico. Moradores disseram que a manifestação de terça-feira foi a maior desde que estudantes passaram a protestar, em 1999.Aqueles protestos terminaram com radicais islâmicos e membros das forças de segurança atacando alunos da Universidade de Teerã, que se manifestavam contra novas restrições à mídia.Correspondentes afirmam que a tensão está crescendo no Irã, com frustrações causadas pelo ritmo lento das reformas prometidas pelo presidente Khatami.Os últimos protestos de estudantes tinham acontecido no fim do ano passado, por causa da pena de morte aprovada contra o intelectual reformista Hashem Aghajari, por suposta blasfêmia. Depois, eles receberam o apoio de 120 parlamentares iranianos, que criticaram as punições impostas aos líderes dos estudantes.Observadores também afirmam que os clérigos que fazem parte do governo estão tentando aumentar seu poder, depois da deposição de Saddam Hussein no Iraque.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.