Polícia e estudantes se enfrentam em Roma

Manifestantes protestam contra reforma na educação; aeroporto em Palermo é invadido

Efe e Associated Press

14 de dezembro de 2010 | 11h09

Contra reforma. Italianos foram até a sede do Parlamento para protestar.

 

ROMA - Novos enfrentamentos foram registrados nesta terça-feira, 14, entre estudantes e a polícia da Itália em frente à sede do Senado, no centro de Roma.

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos confrontos

Os agentes de segurança investiram contra os estudantes, que tentaram furar o cordão policial em torno da sede do Senado. Os manifestantes atiraram pedras, paus e baldes de tinta contra a casa legislativa no dia em que o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, recebeu voto de confiança no Parlamento e confirmou sua permanência no poder.

 

Vários estudantes ficaram feridos e outros foram detidos pela polícia. Além disso, a polícia enfrentou jornalistas e cinegrafistas que estava no local para registrar e reportar os confrontos.

 

Os protestos ocorrem contra uma reforma da educação que estudantes e professores dizem que darão ao setor privado muita influência e envolvimento no sistema público de ensino universitário. Segundo eles, os cortes no orçamento para a educação reduzem o número de vagas para os universitários.

 

Invasões

 

Em Palermo, cerca de 500 estudantes universitários e secundários bloquearam o aeroporto Falcone-Borsellino em protesto contra a reforma universitária do governo de Berlusconi, que se encontra em tramitação parlamentar.

 

Os estudantes, indicaram fontes locais, chegaram às pistas do aeroporto após burlar os sistema de segurança do local. Antes de deixar o recinto, o jovens lançaram panfletos nos quais chamavam os investidores de "ladrões e mafiosos".

 

Em Milão, cerca de cem estudantes invadiram o prédio da Bolsa de Valores para protestar contra a reforma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.