Polícia e Exército fazem prisões em massa na Colômbia

Policiais e soldados detiveram o prefeito de uma cidade do nordeste do país, uma importante autoridade estadual, dois candidatos às eleições previstas para o fim de semana e mais de dez outras pessoas, em uma ofensiva contra supostos simpatizantes de grupos guerrilheiros. As prisões em Arauca, capital do Estado colombiano de mesmo nome, são as mais recentes de uma séries de detenções em massa realizadas durante as últimas semanas em toda a Colômbia, e que culminaram na captura de centenas de supostos guerrilheiros.Entre os detidos estão o prefeito de Arauca, Jorge Cedeno, a procuradora-geral do Estado, Edna Benitez, o ex-congressista Albeiro Vanegas, um candidato à prefeitura de Arauca e um candidato ao governo do Estado, informou o general Eduardo Morales. Os detidos são acusados de "rebelião" e "associação a grupos guerrilheiros".Na maioria das recentes detenções em massa, diversos suspeitos precisaram ser libertados depois de os investigadores não terem encontrado nenhuma evidência contra eles. Grupos de defesa dos direitos humanos acusam o governo colombiano de estar indo longe demais por prender muitas pessoas inocentes entre poucos culpados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.