Polícia e manifestantes no Camboja entram em conflito

As forças de segurança nacional do Camboja entraram em confronto com milhares de trabalhadores da indústria têxtil e opositores do governo, que saíram às ruas no domingo, desafiando a proibição de protestos na capital. O confronto deixou pelo menos 10 pessoas feridas e ocorreu quando os manifestantes tentaram entrar no Freedom Park, no centro da capital Phnom Penh, considerado o principal ponto de encontro para partidários da oposição nos últimos meses.

Agência Estado

26 de janeiro de 2014 | 12h25

Liderados por sindicatos e grupos de direitos humanos, os manifestantes pediam negociações salariais para trabalhadores da indústria têxtil e a libertação de 23 presos durante a repressão do início de janeiro. Organizadores chegaram a pedir autorização para os protestos, mas autoridades municipais negaram a solicitação, alegando preocupações de ordem pública.

O confronto foi o primeiro desde que o governo reprimiu violentamente os protestos trabalhistas e da oposição no início de janeiro, e alimentou a preocupação de que o primeiro-ministro, Hun Sen, tenta acabar com a crescente agitação política por liberdades civis. Fonte: Dow Jones Newswires

Tudo o que sabemos sobre:
Cambojamanifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.