Polícia e oposicionistas se enfrentam em Taiwan

A polícia de Taiwan enfrentou centenas de manifestantes que tentaram invadir o gabinete do presidente Chen Shui-bian, neste sábado. Cerca de 120 pessoas ficaram feridas e 20 manifestantes foram presos.A violência começou após a reunião de 50 mil oposicionistas em frente à sede do governo para pedir a instalação de uma comissão especial que investigue a suposta tentativa de assassinato do presidente, em 20 de março, durante campanha eleitoral. A oposição acredita que o atentado ajudou Chen a vencer as eleições pela pequena margem de 0,2%. O candidato derrotado, Lien Chan, do Partido Nacionalista, que pediu a anulação da votação, discursou na manifestação.Depois que terminou o protesto, cerca de 1.000 manifestantes permaneceram no local e começaram a lançar garrafas e pedras contra a polícia. Alguns ameaçaram furar a segurança para chegarem à sala do presidente. Quando a manifestação já se dispersava, a polícia começou a lançar água contra os opositores do presidente.Um grupo de manifestantes atacou uma delegacia próxima ao local do protesto, quebrando vidros com pedras e arrancando a caixa de luz do prédio. A multidão só foi contida após a intervenção de Lin Fong-cheng, do Partido Nacionalista, que pediu para que os manifestantes mantivessem a calma. Ele declarou, porém, que o conflito foi iniciado por integrantes do partido do governo que se infiltraram no protesto para prejudicar a reputação da oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.