Polícia encerra protesto com 20 mil pessoas em Atenas

Polícia encerra protesto com 20 mil pessoas em Atenas

Bombas de gás lacrimogêneo e granadas foram usados para dispersar manifestantes que protestavam por morte de estudante durante a ditadura

O Estado de S. Paulo

17 de novembro de 2014 | 16h48

Os protestos para lembrar os 41 anos da morte de um estudante durante a ditadura na Grécia acabaram rapidamente após a polícia usar bombas de gás lacrimogêneo e granadas sob manifestantes que jogavam pedras nos policiais. A manifestação reuniu cerca de 20 mil pessoas. Ninguém ficou ferido nem foi detido no episódio.

A marcha anual até a embaixada americana foi monitorada por cerca de sete mil policiais, a fim de evitar atos de violência vistos nos anos anteriores.

Na cidade litorânea de Thessaloniki, no norte do país, outras 14 mil pessoas marcharam pacificamente no consulado americano.

A revolta da Escola Politécnica, em 1973, desafiou a ditadura, o que levou a polícia e o Exército a responderem com tiroteios contra os manifestantes e apoiadores ao redor do campus central, em Atenas. O regime ditatorial teve fim no ano seguinte.

Embora marchas aniversário protestem contra o apoio dos EUA à ditadura ente 1967 e 1974, os participantes em protestos mais recentes também expressaram descontentamento com medidas de austeridade em curso no país. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciaEUAprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.