Stavros Karipidis / Reuters
Stavros Karipidis / Reuters

Polícia encontra 41 imigrantes em caminhão frigorífico na Grécia

Sete deles foram hospitalizados com problemas respiratórios; motorista foi preso sob suspeita de tráfico humano

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2019 | 11h33

TESSALÔNICA, GRÉCIA - A polícia descobriu 41 imigrantes, a maioria jovens de nacionalidade afegã, escondidos em um caminhão frigorífico que circulava no norte da Grécia, informaram fontes policiais gregas nesta segunda-feira, 4.

Sete dos imigrantes apresentaram problemas respiratórios e foram hospitalizados. Segundo relatos, todos foram encontrados vivos.

O motorista do caminhão frigorífico de origem georgiana, suspeito de tráfico humano, foi preso nesta segunda na rodovia Egnatia em direção à cidade de Tessalônica, perto do pedágio da cidade de Xanti, segundo a polícia. 

Um segundo indivíduo de origem turca conseguiu escapar e continua sendo procurado pelas autoridades, de acordo com o site de notícias local xanthinews.gr. 

Ponto de passagem para contrabandistas

Xanti é uma cidade no norte da Grécia, localizada a poucos quilômetros da região fronteiriça de Evros, que separa o país da Turquia. O local é um dos pontos de passagem favoritos dos contrabandistas desde a assinatura do acordo entre a União Europeia e a Turquia em 2016 e do reforço das patrulhas navais no Mar Egeu. 

A descoberta desta segunda lembra o trágico caso ocorrido na madrugada de 23 de outubro, em que 39 corpos de imigrantes vietnamitas foram encontrados em um caminhão refrigerado em Essex, leste de Londres

Pela primeira vez desde 2016, a Grécia tornou-se novamente o principal ponto de entrada dos requerentes de asilo na Europa. Mais de 34 mil pessoas vivem em condições insalubres em cinco ilhas do Mar Egeu, com uma capacidade total de 6,3 mil pessoas. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.