Polícia encontra 7 cadáveres em duas minas no centro do México

Para Procuradoria do estado, locais eram usados pelo crime organizado como cemitérios clandestinos

AP,

23 de agosto de 2010 | 19h23

PACHUCA, MÉXICO- Ao menos sete cadáveres foram retirados de respiradouros de duas minas do estado de Hidalgo, no centro do México, segundo afirmou a Procuradoria de Justiça estadual nesta segunda-feira, 23. Os locais eram supostamente usados como cemitérios clandestinos pelo narcotráfico.

 

De acordo com a subprocuradora de Justiça de Hidalgo, Carmen Archundia, os corpos foram encontrados durante o fim de semana como parte de uma investigação iniciada há alguns dias com a prisão de 13 pessoas, incluindo três policiais municipais.

 

Os cadáveres estavam em estado avançado de decomposição e até o momento não foi possível identificá-los. As autoridades acreditam que eles sejam de vendedores de drogas.

 

Três dos corpos foram encontrados em uma mina de Pachuca, capital de Hidalgo, estado onde as autoridades reportaram atividades do cartel Los Zetas. Os outros quatro foram retirados de outra mina na cidade vizinha de Mineral del Chico.

 

Este é o segundo caso de cadáveres encontrados em minas supostamente ligados ao crime organizado.

 

Autoridades concluíram em junho a recuperação de 55 cadáveres de supostas vítimas do crime organizado que foram jogados em um respiradouro de uma mina de prata abandonada em Taxco, no estado de Guerrero, um dos locais mais afetados pela violência do narcotráfico.

 

Mais de 28 mil pessoas morreram no país desde dezembro de 2006, quando o presidente Felipe Calderón assumiu o poder e declarou guerra ao narcotráfico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.