Reuters
Reuters

Polícia encontra corpo de atirador que matou 6 na Pensilvânia

Acusado do assassinato da esposa e de mais cinco pessoas, Stone foi encontrado em um bosque; causa da morte não foi divulgada

Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2014 | 19h34

O ex-fuzileiro naval William Bradley Stone, suspeito de matar sua ex-esposa e cinco de seus parentes, foi encontrado morto em um bosque perto de sua casa na cidade americana de Filadélfia nesta terça-feira. A busca por Stone levou dois dias e chegou a fechar escolas da região.

A procuradora-geral do distrito, Risa Vetri Ferman, disse em sua página oficial do Facebook que a polícia encontrou o corpo de Stone. A causa da morte não foi divulgada.

A ex-mulher de Stone, Nicole Stone, de 33 anos, foi encontrada morta depois de um vizinho ter visto o ex-fuzileiro naval sair da casa dela, pouco antes das 5h (horário local) de segunda-feira com as duas filhas do casal. A seguir a polícia descobriu mais cinco corpos em outras duas casas. Numa delas estavam uma irmã de Nicole, seu marido e uma sobrinha de 14 anos. O sobrinho de 17 anos estava gravemente ferido. Na outra casa os policiais encontraram mãe e a avó de Nicole, também mortas a tiros.

Brad Stone e sua ex-mulher disputavam na Justiça a guarda das filhas desde que ela pediu o divórcio, em 2009.

"Ela dizia a qualquer um que quisesse ouvir que ele a iria matar e que ela realmente temia pela própria vida", disse Evan Weron, vizinha de Nicole. Segundo ela, Nicole costumava falar com frequência sobre a disputa judicial. "Nicole veio até a minha casa algumas vezes, em diferentes ocasiões, chorando e dizendo que a situação era muito perturbadora", revelou e Weron.

Os vizinhos acordaram com o barulho de vidro quebrado e disparos vindos da casa de Nicole na manhã de segunda-feira. Eles alertaram as autoridades após virem Stone correndo com as crianças. As meninas foram posteriormente encontradas em segurança com vizinhos do ex-militar, informou a procuradora distrital do condado de Montgomery, Risa Vetri Ferman.

Ela se recusou a falar sobre a arma ou as armas usadas nos assassinatos e disse que as autoridades não sabem se Stone está a pé ou de carro. Segundo Ferman, Stone provavelmente estava usando roupas militares. "Neste momento, não sabemos onde ele está", declarou Ferman durante coletiva de imprensa na noite de segunda-feira.

Os assassinatos tiveram início em Souderton, na casa da ex-cunhada de Brad Stone, e terminou 90 minutos mais tarde, no apartamento de Nicole Stone perto de Harleysville, informou Ferman.

A irmã de Nicole, Patricia Flick, seu marido, Aaron Flick, e a filha do casal, Nina Flick, de 14 anos, foram mortos primeiro. O filho deles de 17 anos, Anthony Flick, foi levado para o hospital com um ferimento da cabeça.

A mãe de Nicole, Joanne Hill, e sua avó, Patricia Hill, foram mortas a seguir na casa onde moravam, em Lansdale. Logo depois, Brad Stone foi para a casa da ex-mulher.

"Estou irritado porque ele poderia ter vindo à minha casa e eu poderia tê-lo levado a um centro de tratamento e poderíamos ter cuidado disso", afirmou Matthew Schafte, amigo antigo de Brad Stone. Ele disse que o amigo era um veterano fuzileiro naval que serviu no Iraque.

Brad e Nicole Stone se casaram em 2004 e se divorciaram em 2009. Segundo os vizinhos, Nicole estava noiva. Já Brad se casou novamente no ano passado, segundo sua página no Facebook, e teve outro filho. Sua mulher e o bebê não estão feridos. /AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.