Polícia encontra parte da relíquia de João Paulo II roubada na Itália

Ladrões tentaram vender fios de ouro de pedaço de batina, segundo a polícia

O Estado de S. Paulo,

31 de janeiro de 2014 | 10h34

O bispo auxiliar da cidade italiana de L'Aquila, Giovanni D'Ercole, anunciou nesta quinta-feira, 31, que foi encontrada a relíquia de João Paulo II, o pedaço de tecido da batida que ficou manchado de sangue durante o atentado sofrido pelo pontífice em 1981, embora faltem alguns filamentos.

O bispo, que compareceu hoje junto com a polícia italiana em uma entrevista, explicou que o pedaço de tecido foi achado na garagem da casa de um dos três jovens detidos ontem e que eles confessaram o roubo.

D'Ercole explicou que faltam alguns filamentos, que a polícia segue buscando, já que os ladrões se desfizeram da verdadeira relíquia pois só lhes interessavam os fios de ouro, de pouco valor.

A polícia italiana deteve ontem três jovens italianos, que confessaram o roubo e asseguraram que a intenção era vender o relicário que continha o pedaço de tecido.

Os detidos, de 23 e 24 e 18 anos, com envolvimento com drogas, e que posteriormente ficaram em liberdade, tinham assegurado que não lembrava onde tinham se desfeito da relíquia.

Os acusados roubaram o relicário e uma cruz da pequena igreja de San Pietro della Ienca, na cordilheira dos Apeninos, na região italiana dos Abruzo, no sábado.

A relíquia era um presente do secretário do papa polonês, o cardeal Stanislaw Dziwisz, que a entregou como "uma amostra do amor de João Paulo II pela zona".

Essa relíquia, uma das três que contêm o sangue de Karol Wojtyla, é um pequeno pedaço da batina de João Paulo II que ficou manchada de sangue durante o atentado que sofreu na Praça São Pedro 13 de maio de 1981. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
João Paulo IIItália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.