Polícia enfrenta manifestantes na Turquia

A polícia turca usou gás lacrimogêneo nesta quinta-feira contra manifestantes que protestaram contra a decisão do governo de proibir uma tradicional marcha de 1º de maio. O confronto ocorreu em vários bairros de Istambul.

Agência Estado

01 Maio 2014 | 12h18

Vários pontos da cidade foram interditados e houve tensão durante a manifestação, que contou com milhares de participantes. Cerca de 40 mil policiais estavam de plantão, com metade deles designada para a Praça Taksim, epicentro dos protestos do ano passado e ponto final da marcha que costuma acontecer no primeiro dia deste mês. Reforços policiais foram convocados em outras cidades da Turquia, incluindo a capital Ancara, onde ocorreram manifestações contra o governo nos últimos meses.

Em Istambul, a polícia foi recebida com fogos de artifício e pedras. Em resposta, os militares usaram canhões de água e gás lacrimogêneo contra manifestantes nos bairros de Kurtulus, ponto central da cidade, e Besiktas.

Os protestos são esperados desde que o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou, no mês passado, que não deixaria os sindicatos realizarem a tradicional marcha até a Praça Taksim.

O governo chegou a sugerir que a marcha fosse transferida para a periferia da cidade, mas a proposta foi recusada pelos sindicatos.

No ano passado, autoridades turcas fizeram uma restrição similar à realizada neste ano. A proibição causou conflitos entre policiais e manifestantes. Um mês depois, protestos contra o governo começaram em Istambul e se espalharam por todo o país, ameaçando o governo de 11 anos de Erdogan.

Alguns analistas especulam se os conflitos de hoje podem ser, novamente, um ponto de partida para manifestações mais duradouras. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Turquia manifestação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.