Polícia entra em confronto com manifestantes durante greve geral na Grécia

Cerca de 30 mil pessoas participaram de protesto perto do Parlamento contra plano de austeridade do governo.

BBC Brasil, BBC

23 de fevereiro de 2011 | 11h18

Cerca de 30 mil pessoas participaram de protesto em Atenas

A polícia e manifestantes entraram em choque perto do Parlamento de Atenas, na Grécia, nesta quarta-feira.

Mais de 30 mil pessoas, entre trabalhadores e estudantes, participaram de um protesto na capital grega contra as medidas de austeridade do governo.

A polícia disparou gás lacrimogêneo contra os manifestantes, que atiravam pedras e bombas de gasolina.

A Grécia enfrenta uma greve geral de 24 horas nesta quarta-feira que paralisou boa parte do transporte público e cancelou mais de cem voos no país.

Muitas escolas estão fechadas e os hospitais reduziram o atendimento. Pequenas empresas e lojas também aderiram à greve.

Esta é a primeira grande manifestação de trabalhadores em 2011 na Grécia, enquanto o governo do país implanta o plano de austeridade com cortes de empregos. O plano foi fechado seguindo os termos do acordo fechado em 2010 para o país receber ajuda internacional e sair da crise econômica.

Em maio o país recebeu uma ajuda financeira de 110 bilhões de euros (cerca de R$ 250 bilhões) do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeia (UE).

Depois de receber esta ajuda, o governo do primeiro-ministro socialista George Papandreou iniciou o corte de gastos e aumento de impostos para reduzir suas dívidas.

Uma série de greves gerais ocorreram na Grécia em 2010 enquanto o governo do país iniciava a implantação do plano de austeridade que ainda vai durar vários anos.

Em 2011 o governo iniciou um esforço especial para combater a sonegação de impostos, apontada como uma das causas do déficit.

O governo grego informou que espera que a economia encolha 3% em 2011.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.